Páginas

sábado, 7 de julho de 2018

PROVA SOBRE BIOMAS

1- O termo bioma pode ser conceituado como:
a) O conjunto formado apenas por seres bióticos que interagem entre si, formando um sistema equilibrado.
b) O conjunto composto por todos os seres vivos do planeta, exceto as plantas e as algas, que formam a flora.
c) O conjunto de ecossistemas, formado por elementos bióticos e abióticos, que possuem condições naturais parecidas como o clima.
e) A camada do planeta Terra que abriga a vida. Abrange parte da litosfera, hidrosfera e da atmosfera.

2- Observe o mapa.



Assinale a alternativa que associa corretamente o espaço enumerado no mapa aos Biomas correspondentes.
(A) 5 – Caatinga, 6 – Pampa, 4 – Pantanal.
(B) 3 – Caatinga, 5 – Pantanal, 2 – Mares e Morros.
(C) 1 – Amazônia, 5 – Caatinga, 2 – Cerrado.
(D) 8 – Araucária, 2 – Cerrado, 4 – Pampa.

3- Leia o texto.
A floresta Amazônica é dividida em três estratos. O primeiro possui, além de cipós, epífitas e plantas aquáticas, que se encontram às margens de rios sofrendo inundações constantes, dessa forma são chamadas de___________. O segundo estabelece em áreas um pouco mais elevadas que as planícies, dessa forma sofrem inundações periódicas, são chamadas de ______________. O terceiro se desenvolve em áreas que não estão sujeitas a inundações por estarem situadas em relevos mais elevados, são chamadas de _____________.

Assinale o item que preenche corretamente as lacunas, respectivamente.
(A) Vegetação Ecótona, Agreste e Zona da Mata.
(B) Floresta Fechada, Floresta Aberta e Floresta de Transição.
(C) Floresta Inundada, Floresta de Várzea e Floresta de Igapó.
(D) Floresta de Igapó, Floresta de Várzea e Floresta de Terra Firme.

4- Leia os seguintes textos:

Texto I - Os cerrados

Essas terras planas do planalto central escondem muitos riachos, rios e cachoeiras. Na verdade, o cerrado é o berço das águas. Essas águas brotam das nascentes de brejos ou despencam de paredões de pedra. Em várias partes do cerrado brasileiro existem canyons com cachoeiras de mais de cem metros de altura!
SALDANHA, P. Os cerrados . Rio de Janeiro: Ediouro, 2000.

Texto II - Os Pantanais

O homem pantaneiro é muito ligado à terra em que vive. Muitos moradores não pretendem sair da região. E não é pra menos: além das paisagens e do mais lindo pôr-do-sol do Brasil Central, o Pantanal é um santuário de animais selvagens. Um morador do Pantanal do rio Cuiabá, olhando para um bando de aves, voando sobre veados e capivaras, exclamou: “O Pantanal parece com o mundo no primeiro dia dacriação.”
SALDANHA, P. Os pantanais. Rio de Janeiro: Ediouro, 1995.

Os dois textos descrevem:
(A) belezas naturais do Brasil Central.
(B) animais que habitam os pantanais.
(C) problemas que afetam os cerrados.
(D) rios e cachoeiras de duas regiões.

5- Qual das alternativas abaixo caracteriza o Pantanal?
(A) É uma formação de vegetação caracterizada por ter galhos tortos típico, casca grossa e raízes profunda, semelhante a savanas.
(B) Constitui-se em um bioma tipicamente brasileiro, com plantas adaptadas a seca devido ao clima semiárido e com fauna diversificada.
(C) Ocorre desde o Amapá até o litoral sul e desenvolve-se em estuários, sendo utilizados por vários animais marinhos para reprodução.
(D) É maior planície alagada do mundo, considerado patrimônio natural da humanidade pela UNESCO, rico em biodiversidade e considerado área de transição entre cerrado e Amazônia.

6- Leia as frases.

“Cobra sucuri, araras, jacarés, pirarucu,  boto cor de rosa, onça pintada, macaco guariba, peixe boi e peixe elétrico”.

“Seringueira, vitória-régia, sumaúma, castanheira do Pará, guaraná, cupuaçu, copaíba e andiroba”

As frases caracterizam a biodiversidade de um grande bioma brasileiro conhecido como:
(A)   Manguezal.
(B)   Cerrado.
(C)   Amazônia.
(D)  Pantanal.

7- Leia o texto.
A relação entre a Amazônia e as chuvas no Brasil ocorre em razão da existência dos Rios Voadores, que, basicamente, consistem na umidade do ar gerada pela Floresta Amazônica e disseminada para várias outras partes do país e do continente sul-americano. São essas chuvas, inclusive, que garantem a sobrevivência da própria floresta e dos recursos hídricos de boa parte das bacias hidrográficas brasileiras.


De acordo com o Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA) e a Expedição Rios Voadores*, a Amazônia é uma floresta que faz chover. De acordo com os pesquisadores, a floresta emite vapores orgânicos para o ar por meio da evapotranspiração, originado pela proximidade da linha do equador, provocando o condensamento e a formação das chuvas. O ar úmido que também é gerado pode precipitar-se e deslocar-se para outras regiões, incluindo o Centro-Oeste do país, o Sudeste e também o Sul.

Com base nas características citadas no texto assinale a alternativa que identifica o clima da Amazônia.
(A)   Equatorial.
(B)   Tropical.
(C)   Semiárido.
(D)  Subtropical.

8- Leia a tirinha.


A tirinha faz uma crítica:
(A) à destruição ambiental do planeta;
(B) à caça aos animais no Pantanal;
(C) à poluição das águas no Pantanal;
(D)  ao desmatamento do Pantanal.

9- Leia o Texto.
Gigante das águas

          Na região amazônica vive o maior peixe de água doce do mundo, o pirarucu.
    Ele pode chegar a 3 metros de comprimento e pesar 200 kg. Carnívora, a espécie possui um ciclo de vida longo, só se reproduzindo a partir do quinto ano de vida.
    Durante muito tempo, o peixe foi capturado em quantidades acima do limite para o consumo da carne, muito apreciada na região. Como resultado, a espécie entrou em perigo de extinção.
  
A causa de o pirarucu estar em perigo de extinção deve-se:
(A) a seu curto ciclo de vida.
(B) ao seu tamanho e ao seu peso.
(C)  ao fato de se reproduzir a partir do quinto ano de vida.
(D)  à sua captura acima do limite para o consumo da carne.

10- Leia o texto:
“A cada dia sendo mais empurrada para fora de seu habitat, a capivara está vivendo mais próxima das áreas urbanas. E, com fácil adaptação, esse roedor tem invertido a realidade dos animais silvestres, se multiplicando de forma acentuada em algumas regiões no estado de São Paulo que já virou objeto de pesquisa científica. Há suspeitas de que a proliferação das capivaras estaria provocando surtos epidemiológicos de febre maculosa.”
 Fonte: D.Rocha. Portal Fauna Brasil, 12 out. 2006

 O texto informa a invasão das capivaras em áreas urbanas. Os fatores que podem ser relacionados a esta invasão é:
(A) O desmatamento, a falta de predadores naturais e as doenças transmitidas à população.
(B) A caça predatória, a ocupação desordenada do ecossistema natural e as doenças transmitidas à população.
(C) A adaptação ao mesmo ecossistema e a participação na vida da populaçãolocal.
(D) O desmatamento, a adaptação ao mesmo ecossistema local e a manutenção da boa qualidade de vida.

11- Observe a imagem e responda corretamente o que se pede.




O bioma apresentado na imagem é:
(A) O Campo Cerrado, com arbustos de pequeno porte, aves como tuiuiús ecupinzeiros que servem de alimentos para os tamanduás.
(B) A Mata Atlântica, berço de uma densa vegetação, com vários animais eabundância de água doce e luz solar.
(C) O Manguezal, berço do jacaré, do mangue vermelho e das aves que dependem da mistura da água doce com a água salgada.
(D) O Pantanal Mato-grossense, com rica rede de rios, berço dos tuiuiús ecapivaras, da mata ciliar e dos jacarés que dependem do nível das águas doces, o qual se modifica ao longo dos meses.

12- Sobre o bioma do Cerrado brasileiro, é correto afirmar que:
(A) é encontrado nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, por conta das densas redes hidrográficas regionais.
(B) tem vegetação arbustiva, caducifólia com raízes profundas, galhos retorcidos e casca grossa.
(C) cobre 2 milhões de km2 do território nacional, sendo 80% inexplorados.
(D) apresenta duas espécies vegetais dominantes, o buritizeiro e o pequizeiro, não exploradas economicamente.


13- A área em negrito no mapa refere-se ao um bioma rico em biodiversidade, cuja a vegetação já foi mais de 90% desmatada. Esse bioma é chamado de:


(A) Mangue.
(B) Cerrado.
(C) Pantanal.
(D) Mata Atlântica.
(E) Mata dos Cocais.


14- A Mata Atlântica é um importante bioma brasileiro que, em virtude da intensa exploração, praticamente não existe mais. Esse bioma enquadra-se em que tipo de bioma mundial?
a) Savanas.
b) Floresta Equatorial.
c) Campos.
d) Deserto.
e) Floresta Tropical.

15- Observe a imagem e leia o texto.

 As principais espécies de animais encontradas no Cerrado são: anta, cervo, onça-pintada, suçuarana, tatu-canastra, lobo-guará, lontra, tamanduá-bandeira, gambá, ariranha, gato-palheiro, veado-mateiro, cachorro-do-mato vinagre, macaco-prego, quati, queixada, porco-espinho, capivara, tapiti e preá.
Porém essas espécies encontram-se ameaçadas devido a degradação ambiental constante provocada pela ação humana.

Assinale a alternativa que apresenta as principais causas do desmatamento no cerrado.
(A)   Extração da madeira para produção de papel.
(B)   Derrubada da mata para abastecimento das carvoarias.
(C)   Caça predatória e crescimento das cidades.
(D)  Produção agrícola baseada na soja e plantio de pastagem para o gado.

16- Leia a letra da canção.

Asa Branca
Luiz Gonzaga

Quando olhei a terra ardendo
Igual fogueira de São João
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Que braseiro, que fornalha
Nem um pé de plantação
Por falta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão
Até mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Depois eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração
Hoje longe, muitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão

Quando o verde dos teus olhos
Se espalhar na plantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração

A música refere-se ao bioma da caatinga. A este respeito assinale a alternativa correta.
(A) Na frase “Que braseiro, que fornalha” indica que a caatinga não existe estação de chuvas.
(B) No trecho “Morreu de sede meu alazão” indica que a seca é o principal problema dessa região.
(C) Na frase “Nem um pé de plantação” significa que a falta d´água em épocas de seca não pode ser solucionada.
(D) No trecho “Igual fogueira de São João” indica que o povo da caatinga não apresenta festas regionais.

17- Leia a música.
Carcará
Otto
  
Carcará, Lá no sertão
É um bicho que avoa que nem avião
É um pássaro malvado
Tem o bico volteado que nem gavião, Carcará
Quando vê roça queimada
Sai voando, cantando, Carcará
Vai fazer sua caçada
Carcará come inté cobra queimada
Quando chega o tempo da invernada
O sertão não tem mais roça queimada
Carcará mesmo assim num passa fome
Os burrego que nasce na baixada, Carcará
Pega, mata e come, Carcará
Num vai morrer de fome, Carcará
Mais coragem do que home, Carcará
Pega, mata e come, Carcará é malvado, é valentão
É a águia de lá do meu sertão
Os burrego novinho num pode andá
Ele puxa o umbigo inté mata, Carcará
Pega, mata e come, Carcará
Num vai morrer de fome, Carcará
Mais coragem do que home, Carcará

A letra da canção refere-se ao carcará, uma ave de rapina que pertence a rica fauna de um bioma originalmente brasileiros, conhecido como:
(A)   Cerrado.
(B)   Amazônia.
(C)   Mata Atlântica.
(D)  Caatinga.

Leia o texto

Seca, fome e miséria: um problema social

A seca, além de ser um problema climático, é uma situação que gera dificuldades sociais para as pessoas que habitam a região. Com a falta de água, torna-se difícil o desenvolvimento da agricultura e a criação de animais. Desta forma, a seca provoca a falta de recursos econômicos, gerando fome e miséria no sertão nordestino. Muitas vezes, as pessoas precisam andar durante horas, sob Sol e calor forte, para pegar água, muitas vezes suja e contaminada. Com uma alimentação precária e consumo de água de péssima qualidade, os habitantes do sertão nordestino acabam vítimas de muitas doenças.

O desemprego nesta região também é muito elevado, provocando o êxodo rural (saída das pessoas do campo em direção as cidades). Muitas habitantes fogem da seca em busca de melhores condições de vida nas cidades.

Estas regiões ficam na dependência de ações públicas assistencialistas que nem sempre funcionam e, mesmo quando funcionam, não gera condições para um desenvolvimento sustentável da região.

Ações para diminuir o impacto da seca:
- Construções de cisternas, açudes e barragens;
- Investimentos em infraestrutura na região;
- Distribuição de água através de carros-pipa em épocas de estiagem (situações de emergência);
- Implantação de um sistema de desenvolvimento sustentável na região, para que as pessoas não necessitem sempre de ações assistencialistas do governo;
- Incentivo público à agricultura adaptada ao clima e solo da região, com sistemas de irrigação.


18- De acordo com o texto são medidas para solucionar o problema da seca na caatinga, exceto:
a)    Criação de cisternas;
b)    Construção de barragens;
c)     Distribuição de água por meio de carros pipa;
d)    Dessalinização da água do mar;

GABARITO:


1C / 2C / 3D / 4A / 5D / 6C / 7A / 8B / 9D / 10A / 11D / 12B / 13D / 14E / 15D / 16B / 17D / 18D

QUESTÃO 1

(FGG – CH) O Brasil apresenta uma grande diversidade cultural e natural, muitas vezes, representadas na literatura por escritores renomados como Raquel de Queiroz e Patativa do Assaré. Outro escritor que relatou as características marcantes de uma dada região foi Euclides da Cunha, na obra “Os sertões”. Na ocasião, ele denunciou a desumanidade, mostrando a dor humana pelas condições físicas do lugar e pela crueldade cometida contra uma população abandonada que lutava por um modo de existência. Nesse cenário de sofrimento, ficam explícitos as características do domínio morfoclimático da caatinga que

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecida por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

(D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

(E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.

 

QUESTÃO 2

BARRA DO RIO MUNDAÚ – TRAIRI (CE)


(FGG – CH)  A vegetação representada na imagem indica uma condição única de uma vegetação adaptada a grande umidade por


 (A) 
compreender um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localizar-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

(D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

(E) predominar na maior parte do litoral brasileiro, representando o elo de transição entre continente e oceano, por isso, sua característica climática é tropical úmido. Suas vegetações têm características pneumatóforas, por se localizarem em solos holomórficos são halófitas, que variam de médio a grande porte.

 QUESTÃO 3



(FGG – CH)  A manchete acima tem sido repetida diversas vezes nos mais variados veículos de comunicação ao longo do ano de 2020 devido a vulnerabilidade do domínio morfoclimático em questão e a flexibilização das fiscalizações ambientais. A importância de preservar este ecossistema consiste no embasamento de que

 (A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 4

 


 (FGG – CH)  O processo de desmatamento do Cerrado consolidou-se ao longo da segunda metade do século XX, graças aos avanços da agropecuária para o interior do país nesse período. Dados revelam que menos de 48% da vegetação original encontra-se total ou parcialmente conservada, e, para piorar, o desmatamento vem aumentando em grande medida nos últimos anos, sendo maior até mesmo que o da Amazônia. Tais problemas ambientas devem ser combatidos, haja vista, que o Cerrado

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

 (B) ficou conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 5

Um Grito Entre As Cinzas

Luan Santana

 Eu nasci lá onde o sol se esconde

Onde o mal não beira nem de longe
Como se o mato fosse impermeável
E cada folha verde fosse um Deus

Eu tenho sangue nativo
Lendas e mitos pra contar
Eu canto é um grito entre as cinzas
Do que um dia foi meu lar

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Deus salve o Pantanal

Eu nasci lá onde o sol se esconde
Onde o mal não beira nem de longe
Como se o mato fosse impermeável
E cada folha verde fosse um Deus

Eu tenho sangue nativo
Lendas e mitos pra contar
Eu canto é um grito entre as cinzas
Do que um dia foi meu lar

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Deus salve o Pantanal
Deus salve o Pantanal

 (FGG – CH)  A música “Um grito entre as cinzas”, lançada em 2020 pelo cantor Luan Santana em parceria com a National Geographic, demonstrou um forte apelo aos problemas ambientais enfrentados por este bioma que

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecida por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 6


mutum-de-alagoas (Pauxi mitu) é a ave de maior porte encontrada em toda a Mata Atlântica da região Nordeste. Ele mede entre 80 e 90 centímetros de comprimento e tem uma plumagem em tons de preto e azul. Conhecido como o grande pássaro negro, significado do nome da espécie na mistura entre o espanhol e o tupi-guarani, originalmente ele podia ser encontrado ao longo dos estados de Pernambuco e Alagoas.

 Os primeiros registros da observação do mutum-de-alagoas, também chamado de mutum-do-nordeste, são do século XVII, feitos pelo naturalista alemão George Marcgrave, um dos membros da comitiva holandesa de Maurício de Nassau. Assim como outros animais, o desmatamento (no caso do mutum, para o plantio da cana-de-açúcar na região) e a caça ilegal fizeram com que ele desaparecesse. Além disso, a carne do Pauxi mitu também é saborosa, o que contribuiu ainda mais para sua extinção.

 Os últimos registros de indivíduos observados livres na natureza foram feitos nos anos de 1978, 1984 e 1987. Desde então, sobraram pouquíssimas aves no Brasil, e apenas, em cativeiros. Mas ao longo das últimas décadas, diversas organizações realizaram um belíssimo trabalho de reprodução e assim, aumentar o número dessa população de mutuns – atualmente, existem cerca de 80 aves da espécie em cativeiro no Brasil -, e poder, finalmente, reintroduzi-los na vida selvagem.

 E é exatamente isso que acontecerá nos próximos dias, quando três casais de mutum-de-alagoas, vindos de um criadouro em Minas Gerais, serão soltos na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Mata do Cedro, no município de Rio Largo, próximo à cidade de Maceió.  

 Na última sexta-feira (13/09), os seis mutuns deixaram a CRAX BRASIL*, em Belo Horizonte, e foram transportados, por avião, para Alagoas. Durante doze dias, eles ficarão em um viveiro feito na mata, em uma fase de aclimatação, para só depois, serem liberados na reserva, que tem aproximadamente 1 mil hectares. “Depois da soltura, as aves serão monitoradas, permanentemente, por um rádio transmissor, instalado nelas. Haverá pessoas se revezando no trabalho até que tenhamos as principais informações sobre a biologia da espécie e, também, para evitar a caça e ou captura”, revela Roberto Azeredo, da Crax Brasil.

 O mutum-de-alagoas, a exemplo de outras espécies, tem uma função importante no equilíbrio de seu ecossistema. “Ele é um grande dispersor de sementes na mata. Come frutas e espalha na floresta as sementes através das fezes. Com isso, não só está protegendo espécies da flora, como também, garantindo alimento para as suas gerações atuais e futuras e de outras animais que também utilizam nas suas dietas as mesmas frutas”, explica o criador.

Paralelamente à soltura em Alagoas, o trabalho de reprodução em criadouros continua. “Nosso objetivo é formar um banco genético viável  em cativeiro para produzir aves em condições de serem soltas em reservas legalmente estabelecidas na sua área de ocorrência (estado de Alagoas). A ideia é soltar o maior número possível de mutuns até que tenhamos a segurança de realmente ter salvo a espécie da extinção”, ressalta Azeredo.

(FGG – CH) O texto expõe um dos principais problemas ambientais apresentados pelo domínio da mata atlântica: a caça predatória. Tais práticas como esta, ao longo do processo histórico de ocupação da Região, têm colocado em xeque a biodiversidade desse ecossistema que

 (A) é conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido a grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (B) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (C) é típico de clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (D) predomina na maior parte do litoral brasileiro, representa o elo de transição entre continente e oceano, por isso, sua característica climática é tropical úmido. Suas vegetações têm características pneumatóforas, por se localizarem em solos holomórficos são halófitas, que variam de médio a grande porte.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário