Páginas

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

QUESTÃO DISCURSIVA SOBRE RACISMO (ATIVIDADE)

 No dia 20 de novembro celebramos o dia da Consciência Negra. No dia anterior, 19/11/2020, um homem negro foi covardemente assassinado no estacionamento de uma grande rede de supermercado por dois homens brancos, seguranças da empresa. O caso teve repercussão nacional e, assim como nesse caso, outras pessoas são vitimadas diariamente no mundo todo em situações semelhantes. No mesmo dia da celebração da Consciência Negra, o Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, fala em uma entrevista que no Brasil não existe racismo. O IBGE, divulgou uma pesquisa que indicou que cerca 70% da população residente em favelas e áreas marginalizadas são negras. As melhores oportunidades de emprego com altos salários ainda são ocupados por brancos, dentre outros indicadores. Com base no que foi apresentado e em seus conhecimentos históricos, filosóficos, humanitários e sociais, você concorda que no Brasil não existe racismo? Explique detalhadamente.

SIMULADO DIAGNÓSTICO SOBRE MEIO AMBIENTE - CIENCIAS

 

PROVA SOBRE DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - BIOMAS

 QUESTÃO 1

(FGG – CH) O Brasil apresenta uma grande diversidade cultural e natural, muitas vezes, representadas na literatura por escritores renomados como Raquel de Queiroz e Patativa do Assaré. Outro escritor que relatou as características marcantes de uma dada região foi Euclides da Cunha, na obra “Os sertões”. Na ocasião, ele denunciou a desumanidade, mostrando a dor humana pelas condições físicas do lugar e pela crueldade cometida contra uma população abandonada que lutava por um modo de existência. Nesse cenário de sofrimento, ficam explícitos as características do domínio morfoclimático da caatinga que

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecida por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

(D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

(E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.

 

QUESTÃO 2

BARRA DO RIO MUNDAÚ – TRAIRI (CE)


(FGG – CH)  A vegetação representada na imagem indica uma condição única de uma vegetação adaptada a grande umidade por


 (A) 
compreender um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localizar-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

(D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

(E) predominar na maior parte do litoral brasileiro, representando o elo de transição entre continente e oceano, por isso, sua característica climática é tropical úmido. Suas vegetações têm características pneumatóforas, por se localizarem em solos holomórficos são halófitas, que variam de médio a grande porte.

 QUESTÃO 3



(FGG – CH)  A manchete acima tem sido repetida diversas vezes nos mais variados veículos de comunicação ao longo do ano de 2020 devido a vulnerabilidade do domínio morfoclimático em questão e a flexibilização das fiscalizações ambientais. A importância de preservar este ecossistema consiste no embasamento de que

 (A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

(C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 4

 


 (FGG – CH)  O processo de desmatamento do Cerrado consolidou-se ao longo da segunda metade do século XX, graças aos avanços da agropecuária para o interior do país nesse período. Dados revelam que menos de 48% da vegetação original encontra-se total ou parcialmente conservada, e, para piorar, o desmatamento vem aumentando em grande medida nos últimos anos, sendo maior até mesmo que o da Amazônia. Tais problemas ambientas devem ser combatidos, haja vista, que o Cerrado

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

 (B) ficou conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 5

Um Grito Entre As Cinzas

Luan Santana

 Eu nasci lá onde o sol se esconde

Onde o mal não beira nem de longe
Como se o mato fosse impermeável
E cada folha verde fosse um Deus

Eu tenho sangue nativo
Lendas e mitos pra contar
Eu canto é um grito entre as cinzas
Do que um dia foi meu lar

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Deus salve o Pantanal

Eu nasci lá onde o sol se esconde
Onde o mal não beira nem de longe
Como se o mato fosse impermeável
E cada folha verde fosse um Deus

Eu tenho sangue nativo
Lendas e mitos pra contar
Eu canto é um grito entre as cinzas
Do que um dia foi meu lar

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Queria ser chuva
Mas estou em chamas
Não tem flor no meu quintal
Deus salve o Pantanal

Deus salve o Pantanal
Deus salve o Pantanal

 (FGG – CH)  A música “Um grito entre as cinzas”, lançada em 2020 pelo cantor Luan Santana em parceria com a National Geographic, demonstrou um forte apelo aos problemas ambientais enfrentados por este bioma que

(A) compreende um dos maiores complexos biológicos do mundo, responsável por contribuir para o regime de chuvas de uma área com grandes dimensões através dos rios voadores, abriga uma grande variedade de fauna e flora, obtém a maior bacia hidrográfica do mundo, porém, vem sendo devastada pela expansão agropecuária e práticas de mineração.

(B) ficou conhecida por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido à grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (C) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (D) apresenta clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.


QUESTÃO 6


mutum-de-alagoas (Pauxi mitu) é a ave de maior porte encontrada em toda a Mata Atlântica da região Nordeste. Ele mede entre 80 e 90 centímetros de comprimento e tem uma plumagem em tons de preto e azul. Conhecido como o grande pássaro negro, significado do nome da espécie na mistura entre o espanhol e o tupi-guarani, originalmente ele podia ser encontrado ao longo dos estados de Pernambuco e Alagoas.

 Os primeiros registros da observação do mutum-de-alagoas, também chamado de mutum-do-nordeste, são do século XVII, feitos pelo naturalista alemão George Marcgrave, um dos membros da comitiva holandesa de Maurício de Nassau. Assim como outros animais, o desmatamento (no caso do mutum, para o plantio da cana-de-açúcar na região) e a caça ilegal fizeram com que ele desaparecesse. Além disso, a carne do Pauxi mitu também é saborosa, o que contribuiu ainda mais para sua extinção.

 Os últimos registros de indivíduos observados livres na natureza foram feitos nos anos de 1978, 1984 e 1987. Desde então, sobraram pouquíssimas aves no Brasil, e apenas, em cativeiros. Mas ao longo das últimas décadas, diversas organizações realizaram um belíssimo trabalho de reprodução e assim, aumentar o número dessa população de mutuns – atualmente, existem cerca de 80 aves da espécie em cativeiro no Brasil -, e poder, finalmente, reintroduzi-los na vida selvagem.

 E é exatamente isso que acontecerá nos próximos dias, quando três casais de mutum-de-alagoas, vindos de um criadouro em Minas Gerais, serão soltos na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Mata do Cedro, no município de Rio Largo, próximo à cidade de Maceió.  

 Na última sexta-feira (13/09), os seis mutuns deixaram a CRAX BRASIL*, em Belo Horizonte, e foram transportados, por avião, para Alagoas. Durante doze dias, eles ficarão em um viveiro feito na mata, em uma fase de aclimatação, para só depois, serem liberados na reserva, que tem aproximadamente 1 mil hectares. “Depois da soltura, as aves serão monitoradas, permanentemente, por um rádio transmissor, instalado nelas. Haverá pessoas se revezando no trabalho até que tenhamos as principais informações sobre a biologia da espécie e, também, para evitar a caça e ou captura”, revela Roberto Azeredo, da Crax Brasil.

 O mutum-de-alagoas, a exemplo de outras espécies, tem uma função importante no equilíbrio de seu ecossistema. “Ele é um grande dispersor de sementes na mata. Come frutas e espalha na floresta as sementes através das fezes. Com isso, não só está protegendo espécies da flora, como também, garantindo alimento para as suas gerações atuais e futuras e de outras animais que também utilizam nas suas dietas as mesmas frutas”, explica o criador.

Paralelamente à soltura em Alagoas, o trabalho de reprodução em criadouros continua. “Nosso objetivo é formar um banco genético viável  em cativeiro para produzir aves em condições de serem soltas em reservas legalmente estabelecidas na sua área de ocorrência (estado de Alagoas). A ideia é soltar o maior número possível de mutuns até que tenhamos a segurança de realmente ter salvo a espécie da extinção”, ressalta Azeredo.

 

(FGG – CH) O texto expõe um dos principais problemas ambientais apresentados pelo domínio da mata atlântica: a caça predatória. Tais práticas como esta, ao longo do processo histórico de ocupação da Região, têm colocado em xeque a biodiversidade desse ecossistema que

 (A) é conhecido por apresentar características semelhantes à savana africana, com feições de vegetação caducifólia, tropófita, com presença de gramíneas e arbustos que se destacam pelos galhos tortos, casca grossa e raízes profundas, apresenta grande diversidade biológica, porém, devido a grande exploração de seus recursos, foi inserido na lista de hotspots.

 (B) localiza-se em uma região de semiárido, com predominância de vegetação xerófita e caducifólia, além de cactáceas, apresenta um regime de chuvas irregulares concentradas no começo do ano, o que intensifica os longos períodos de seca. Devido as condições climáticas adversas e sua riqueza em biodiversidade, torna-se um ecossistema bastante vulnerável.

 (C) é típico de clima tropical úmido, com vegetações latifoliadas e ombrófilas, a proximidade do oceano atlântico e o relevo mamelonar contribuem para sua denominação. Abrange uma das maiores concentrações de biodiversidade do mundo, porém, encontra-se na lista de hotspots por apresentar aproximadamente 10% de vegetação remanescentes, devido o processo exploratório histórico de sua fauna e flora.

 (D) predomina na maior parte do litoral brasileiro, representa o elo de transição entre continente e oceano, por isso, sua característica climática é tropical úmido. Suas vegetações têm características pneumatóforas, por se localizarem em solos holomórficos são halófitas, que variam de médio a grande porte.

 (E) abrange uma vasta área de planície alagada, sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, representa uma riqueza de biodiversidade ímpar, com características semelhantes aos domínios morfoclimáticos que o cercam, vem sofrendo nos últimos anos com o desmatamento desenfreado e por constantes queimadas intensificadas pelos longos períodos de estiagem.