Páginas

sábado, 7 de julho de 2018

PROVA SOBRE CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO E TERRORISMO



Texto 1
A diáspora judaica é o nome dado às diversas expulsões forçadas dos judeus mundo afora, incluindo a formação de outras comunidades judaicas fora das regiões que hoje são conhecidas como Israel, partes do Líbano e Jordânia. Foi um processo de “dispersão” desse povo, que ia além da Palestina.

1- Sobre a primeira diáspora do povo judeu conclui-se que:
(A) ocorreu devido a fortes pressões estabelecidas pela ONU sobre o povo judeu.
(B) Foi a dispersão ocasionada pela migração dos judeus após o dia de Yom Kippur.
(C) ocorreu quando no ano de 70 d.C. os judeus foram expulsos das terras da palestina após a ocupação dos romanos.
(D) ocorreu quando no ano de 586 a.C. a civilização babilônica do imperador Nabucodonosor invadiu as terras da palestina.
(E) o povo judeu se dispersou por conta própria afim de buscar novos mercados e rotas comerciais.

2- Sobre a segunda diáspora do povo judeu conclui-se que:
(A) ocorreu devido a fortes pressões estabelecidas pela ONU sobre o povo judeu.
(B) Foi a dispersão ocasionada pela migração dos judeus após o dia de YomKippur.
(C) ocorreu quando no ano de 70 d.C. os judeus foram expulsos das terras da palestina após a ocupação dos romanos.
(D) ocorreu quando no ano de 586 a.C. a civilização babilônica do imperador Nabucodonosor invadiu as terras da palestina.
(E) o povo judeu se dispersou por conta própria afim de buscar novos mercados e rotas comerciais.

Texto 2
Apesar da Diáspora, esses povos sempre buscaram manter os seus costumes religiosos e culturais, independente do território onde se encontravam. Ainda foram bastante perseguidos (vide Segunda Guerra Mundial, onde cerca de 6 milhões de indivíduos foram exterminados nos cruéis campos de concentração). Após 2000 anos vivendo em domínio estrangeiro e sofrendo com as perseguições, em 1948 a diáspora teve seu fim: com a tomada da Palestina, foi criado o Moderno Estado de Israel. Hoje em dia, estima-se que existam quase 20 milhões desse povo espalhado pelo mundo.

3- O texto é uma discrição da trajetória do povo:
(A)   Árabe.
(B)   Judeu.
(C)   Xiita.
(D)  Egípcio.
(E)   Mesopotâmico.

4- Entre os vários eventos ocorridos no conflito entre Israel e Palestina, citam-se duas das guerras árabe-israelenses: a Guerra dos Seis Dias (1967) e a Guerra do
Yom Kippur (1973). Esses conflitos representaram, respectivamente:

 (A) a anexação por parte de Israel de vários territórios dos países árabes circundantes e a posterior tentativa desses países de reaverem as suas áreas.
(B) o ataque deliberado dos palestinos contra os territórios israelenses e a intervenção militar estadunidense na região.
(C) a resposta militar da Liga Árabe à criação do Estado de Israel pela ONU e a ofensiva militar israelense para retomar sua soberania territorial.
(D) o combate inicial realizado entre Israel e Egito pelo Canal de Suez e a tentativa dos palestinos de agruparem para si a posse desse estratégico ponto de disputa

Texto 3

A crise política que teve início em 29 de outubro de 1956, quando Israel, com o apoio da França e Reino Unido, utilizavam o único canal para ter acesso ao comércio oriental, declarou guerra ao Egito. O presidente do Egito, Gamal Abdel Nasser havia nacionalizado o canal, cujo controle ainda pertencia à Inglaterra. Em consequência, o porto israelense de Eilat ficaria bloqueado, assim como o acesso de Israel ao mar Vermelho, através do estreito de Tiran, no golfo de Acaba.

[...]

Em 29 de outubro de 1956, tropas israelenses invadiram a Península do Sinai e rapidamente superou a oposição das tropas egípcias. No dia seguinte, a Grã-Bretanha e França, se ofereceram para ocupar temporariamente a Zona do Canal e sugeriu uma zona de 10 milhas em cada lado que iria separar as forças egípcias dos israelenses. Nasser, é claro, recusou, e em 31 de outubro, o Egito foi atacado e invadido por forças militares da Grã-Bretanha e França. Em resposta a estes desenvolvimentos, a União Soviética, que na época estava a impiedosamente suprimir uma revolta anticomunista na Hungria, ameaçou intervir em nome do Egito. O presidente Eisenhower dos Estados Unidos pressionou a Grã-Bretanha, França e Israel a concordar com um cessar-fogo e eventual retirada do Egito. Os Estados Unidos, pegos de surpresa pelas duas invasões, estava mais preocupado com a guerra soviética na Hungria e na Guerra Fria do que com a Grã-Bretanha e da França envolvendo relações de Suez. A última coisa que o presidente Eisenhower queria era uma guerra mais ampla sobre o canal. A guerra em si durou apenas uma semana, e as forças invasoras foram retiradas em um mês, sob a supervisão das tropas das Nações Unidas. Como resultado, o Egito agora firmemente alinhando-se com a União Soviética, que armou Egito e outras nações árabes para a luta contínua contra Israel.

5- O texto faz referência ao conflito árabe-israelense que teve como denominação:
(A)   Guerra de Suez.
(B)   Guerra dos 6 dias.
(C)   Guerra de YomKippur.
(D)  Guerra do Golfo.
(E)   Conflito Árabe-Israelense.

6- No segundo semestre de 2011, durante a Primavera Árabe, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) iniciou um intenso ataque a Líbia que resultou na morte do ditador Muamar Kadafi. Muitas foram às críticas da comunidade internacional a esta ação militar, sendo questionado, inclusive, se não teria sido motivada por interesses econômicos.


A partir disso e do mapa abaixo, assinale a alternativa correta.
  
(A) Não é possível inferir nenhuma informação a partir do mapa mencionado.
(B) As críticas da comunidade internacional são equivocadas, pois a OTAN agiu da mesma maneira em outros países, como a Síria e o Egito.
(C) As críticas da comunidade internacional são pertinentes, uma vez que é possível perceber pelo mapa que o território Líbio possui importantes reservas de petróleo e gás.
(D) As críticas da comunidade internacional são pertinentes, uma vez que é possível perceber pelo mapa que o território Líbio possui reservas consideráveis de prata e nióbio.
(E) As críticas da comunidade internacional são equivocadas, visto que é possível perceber pelo mapa que o território não possui nenhum recurso de valor econômico elevado.

Texto 4
"PRIMAVERA ÁRABE" DE 2011 PRECISA SER APOSENTADA
Eu acho que agora é oficial: a "Primavera Árabe" precisa ser aposentada. Não tem nada de primaveril acontecendo por lá. O mais amplo, mas ainda vagamente esperançoso, "Despertar Árabe" também já não parece válido, considerando-se tudo o que já foi despertado. E, por isso, o estrategista Anthony Cordesman provavelmente está certo quando afirma que atualmente é melhor falar da "Década Árabe" ou do "Quarto de Século Árabe" – um longo período de instabilidade intranacional e intraregional, durante o qual a luta tanto pelo futuro do Islã quanto pelo futuro de cada país árabe se misturou em um "choque dentro de uma civilização" [...].
FRIEDMAN, Thomas L. "Primavera Árabe" precisa ser aposentada. Uol Notícias, 13/04/2013. Disponível em: http://noticias.uol.com.br/blogs-e-colunas/coluna/thomas-friedman/2013/04/13/primavera-arabe-precisa-ser-aposentada.htm

7- De acordo com a leitura do texto e com os seus conhecimentos sobre o que se denominou por “Primavera Árabe”, assinale a alternativa incorreta:
(A) O autor defende a ideia de que a expressão “Primavera Árabe” não é suficiente para designar as sucessivas revoltas populares no Oriente Médio em razão do caráter duradouro desses movimentos, que se estendem por mais tempo do que uma simples estação do ano.
(B) A escolha do autor pela expressão “Década Árabe” se deve ao fato de as revoluções da Primavera Árabe já terem completado dez anos de existência.
(C) Ao contrário do que ocorre na Tunísia e no Egito, as revoluções na Líbia e na Síria caracterizam-se pelo confronto militar entre tropas leais aos regimes e os povos rebeldes.
(D) Percebe-se no texto que o autor preconiza a ideia de que a duração das sucessivas revoluções árabes pode ser maior do que a comunidade internacional imaginava.

Texto 5
“O primeiro ano do século XXI ficou marcado por um dos mais violentos atentados terroristas da história. Osama Bin Laden, através de seu grupo terrorista Al Qaeda, vitimou milhares de norte-americanos no dia 11 de Setembro de 2001, quando aviões controlados por terroristas atingiram as torres gêmeas do World Trade Center e partes do prédio do Pentágono, sede do departamento de defesa dos EUA.”

Texto 6
“Os ataques de novembro de 2015 em Paris foram uma série de atentados terroristas ocorridos na noite de 13 de novembro de 2015 em Paris e Saint-Denis, na França. Os ataques consistiriam de fuzilamentos em massa, atentados suicidas, explosões e uso de reféns. Ao todo, ocorreram três explosões separadas e seis fuzilamentos em massa, incluindo bombardeios perto do Stade de France no subúrbio ao norte de Saint-Denis. O ataque mais mortal foi no teatro Bataclan, onde os terroristas fuzilaram várias pessoas e fizeram reféns até o início da madrugada de 14 de novembro.
Mais de 180 pessoas morreram (incluindo os 7 terroristas que perpetraram os ataques), sendo 89 delas no teatro Bataclan. Mais de 350 pessoas ficaram feridas pelos ataques, incluindo 99 pessoas em estado grave. Além das mortes de civis, oito terroristas foram mortos e as autoridades continuavam a procurar quaisquer cúmplices que permaneceram soltos.”
8- O texto menciona sucessivos atentados terroristas que se caracteriza por:
(A) causar terror e medo a população sem o uso bélico, apenas ameaças.
(B) confrontar militarmente apenas civis por serem mais vulneráveis.
(C) serem ações violentas com o intuito de causar pânico a população e ferir o máximo de pessoas para alcançar seus ideais.
(D) atacarem alvos localizados apenas em países desenvolvidos para maior repercussão.

9- Na abertura do "Concerto para a Esperança", em Washington, O presidente Barack Obama falou que o atentado às torres gêmeas não modificou o caráter dos americanos. Ele falou também que não há nenhuma guerra com:
(A) os Afegãos.
(B) o islamismo.
(C) os talibãs.
(D) A AL-Qaeda.
(E) O Iraque.

10- A imagem em questão faz referência ao triste atentado de:


(A)   13 de novembro em Paris.
(B)   11 de março em Madrid.
(C)   7 de julho em Londres.
(D)  11 de setembro em Nova York.

11- Por que Jerusalém é importante para os Judeus?
A) Devido a localização histórica.
B) Por ser a terceira cidade mais importante.
C) Porque foi o local onde Jesus foi crucificado.
D) Devido ao muro das lamentações onde são deixadas orações.

“Se não tornar seus sonhos realidade, a realidade os levará embora.” (Eric Pio)


GABARITO:

1D / 2C / 3B / 4A / 5A / 6C / 7B / 8C / 9B / 10D / 11D

Nenhum comentário:

Postar um comentário