Páginas

terça-feira, 30 de julho de 2019

QUESTÕES DE VESTIBULAR E ENEM SOBRE AGROPECUÁRIA, ESPAÇO AGRÁRIO, CONFLITOS DE TERRAS E TÉCNICAS AGRÍCOLAS

1- (FUVEST 2019) – Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), anualmente, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos (30% da produção total no planeta) é perdido em dois processos: o desperdício que se relaciona ao descarte de alimentos em bom estado e a perda ao longo da cadeia produtiva. O desperdício representa 46% e é muito maior nas regiões mais ricas. As perdas relativas ao circuito de produção representam 54% do total e são maiores nos países em desenvolvimento.
https://nacoesunidas.org/fao‐30‐de‐toda‐a‐comida‐produzida‐no‐mundo‐vaiparar‐ no‐lixo. Adaptado.

*pessoa que está sem alimento e/ou que ficou um dia todo sem comer várias vezes ao ano.

Com base nas informações da FAO e em seus conhecimentos, indique a afirmação correta.
A) A produção de alimentos vem decaindo mundialmente devido aos problemas na logística de produção, o que tem provocado aumento da insegurança alimentar.
B) Nos continentes mais desenvolvidos, a perda de alimentos devido ao sistema de transporte e armazenamento é a principal causa da inexistência da insegurança alimentar.
C) O fato de parte significativa da população africana estar em estado de insegurança alimentar ocorre devido ao desperdício das monoculturas de cereais.
(D) O controle rigoroso do desperdício explica o baixo percentual de pessoas em situação de insegurança alimentar na América Setentrional e na Europa.
(E) Os dois diferentes processos que causam a enorme perda de alimentos no mundo refletem as desigualdades econômicas e sociais existentes entre os continentes.

2- (Fuvest 2018) "Europeus, como França e Alemanha, têm valorizado, principalmente nas duas últimas décadas, o estabelecimento da menor distância possível entre as áreas de produção agrícola e de consumo, o que se denomina circuito curto. Na França, o circuito curto é reconhecido por integrar, no máximo, um intermediário entre o produtor e o consumidor, quando não se trata de venda direta. No Brasil, ainda que não haja uma definição oficial, o circuito curto é identificado pela proximidade entre produtor e consumidor.
Moacir R. Darolt et al. A diversidade dos circuitos curtos de alimentos ecológicos: ensinamentos do caso brasileiro e francês. Agriculturas, v.10, n.2. Adaptado.

Considere a definição apresentada e analise as três afirmações:
I. A proximidade entre área de produção agrícola e de consumo pode contribuir para a redução da emissão de CO2.
II. O objetivo fundamental do circuito curto é a ampliação da lucratividade das grandes indústrias alimentícias, com ganhos advindos da redução dos custos de transporte.
III. Com o circuito curto, são geradas novas relações sociais, pelas quais se pode atingir o preço justo das mercadorias, tanto para o consumidor como para o produtor.

Está correto apenas o que se afirma em
(A) I.
(B) II.
(C) I e II.
(D) II e III.
(E) I e III.

3- (FUVEST 2018) 

As primeiras práticas de agricultura datam de,
aproximadamente, 10.000 anos. Neste período, ocorreram
inúmeras transformações na sua base técnica, mas é, no
decorrer da segunda metade do século XX, que a revolução
agrícola contemporânea, fundada na elevada motorização_
mecanização, na seleção de variedades de plantas e de raças de
animais e na ampla utilização de corretores de pH dos solos, de
fertilizantes, de ração animal e de insumos químicos para as
plantas e para os animais domésticos, progrediu vigorosamente
nos países desenvolvidos e em alguns setores limitados dos
países subdesenvolvidos.
Marcel Mazoyer & Laurence Roudart. História das agriculturas
no mundo: do neolítico à crise contemporânea,
São Paulo: Unesp; Brasília: NEAD, 2010. Adaptado.

As transformações ocorridas na agricultura após meados do século XX foram reconhecidas como revolução verde, sobre a qual se pode afirmar:

(A) Sua concepção foi desenvolvida no Japão e nos Tigres Asiáticos após a II Guerra Mundial.
(B) Contribuiu para a ampliação da diversificação das espécies e do controle das sementes pelos pequenos agricultores.
(C) Seus parâmetros produtivos estavam fundados, desde sua origem, em preservar e proteger a biodiversidade nas áreas de cultivo.
(D) Com sua expansão, na África e no sudeste Asiático, as populações rurais puderam alcançar padrões de consumo semelhantes aos das grandes metrópoles.
(E) Foi baseada na inovação científica e está atrelada à grande produção de grãos em extensas áreas de monocultura.

4- (Fuvest 2017)
O desmatamento atual na Amazônia cresceu em relação a
2015. Metade da área devastada fica no estado do Pará,
atingindo áreas privadas ou de posse, sendo ainda
registrados focos em unidades de conservação,
assentamentos de reforma agrária e terras indígenas.
Imazon. Boletim do desmatamento da Amazônia Legal, 2016. Adaptado.

Tal situação coloca em risco o compromisso firmado pelo Brasil na 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 21), ocorrida em 2015. O desmatamento na
Amazônia tem raízes históricas ligadas a processos que ocorrem desde 1970.

Com base nos dados e em seus conhecimentos, aponte a afirmação correta.

a) O desmatamento, apesar de atingir áreas de unidades de conservação, que incluem florestas, parques nacionais e terras indígenas, viabiliza a ampliação do número de assentamentos da reforma agrária.
b) As grandes obras privadas implantadas na Amazônia valorizam as terras, atraindo enorme contingente populacional, que por sua vez origina regiões metropolitanas que degradam a floresta.
c) A grilagem de terras em regiões de grandes projetos de infraestrutura, a extração ilegal de madeira e a construção de rodovias estão entre as causas do desmatamento na Amazônia.
d) A extração ilegal de madeira na Amazônia vem sendo monitorada por países estrangeiros devido às exigências na COP 21, pois eles são os maiores beneficiários dos
acordos da Conferência.
e) Os grandes projetos de infraestrutura causam degradação da floresta amazônica, com intensidade moderada e temporária, auxiliando a regularização
fundiária.

5- (Fuvest 2016)

É preocupante a detecção de resíduos de agrotóxicos no planalto mato-grossense [Planaltos e Chapada dos Parecis]onde nascem o rio Paraguai e parte de seus afluentes, cujos cursos dirigem-se para a Planície do Pantanal. Em termos ecológicos, o efeito crônico da contaminação, mesmo sob baixas concentrações, implica efeitos na saúde e no ambiente a médio e longo prazos, como a diminuição do potencial biológico de espécies animais e vegetais. 
Dossiê Abrasco – Associação Brasileira de Saúde Coletiva,
Rio de Janeiro/São Paulo: EPSJV/Expressão Popular, 2012. Adaptado.

Com base no texto e em seus conhecimentos, é correto afirmar:

a) No Mato Grosso do Sul, prevalece a criação de caprinos nas chapadas, ocasionando a contaminação dos lençóis freáticos por resíduos de agrotóxicos.
b) No Mato Grosso, ocorre grande utilização de agrotóxicos, em virtude, principalmente, da quantidade de soja, milho e algodão nele cultivada.
c) Em Goiás, com o avanço do cultivo da laranja transgênica voltada para exportação, aumentou a contaminação a montante do rio Cuiabá.
d) No Mato Grosso, estado em que há a maior área de silvicultura do país, há predominância da pulverização aérea de agrotóxicos sobre as florestas cultivadas.
e) No Mato Grosso do Sul, um dos maiores produtores de feijão, trigo e maçã do país, verifica-se significativa contaminação do solo por resíduos de agrotóxicos.

6- (Fuvest 2015)

A  colonização,  apesar  de  toda  violência  e  disrupção,  não
excluiu  processos  de  reconstrução  e  recriação  cultural
conduzidos  pelos  povos  indígenas.  É  um  erro  comum  crer
que a história da conquista representa, para os índios, uma
sucessão  linear de perdas em  vidas,  terras  e  distintividade
cultural. A cultura xinguana que aparecerá para a nação
brasileira  nos  anos  1940  como  símbolo  de  uma  tradição
estática, original e intocada é, ao inverso, o resultado de
uma  história  de  contatos  e  mudanças,  que  tem  início  no
século X d.C. e continua até hoje.

Carlos Fausto. Os índios antes do Brasil. 
Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

Com base no trecho acima, é correto afirmar que

a)  o  processo  colonizador europeu não  foi  violento como se costuma afirmar, já que ele preservou e até mesmo valorizou várias culturas indígenas.
b)  várias  culturas  indígenas  resistiram  e  sobreviveram, mesmo  com  alterações,  ao  processo  colonizador europeu, como a xinguana.
c)  a  cultura  indígena,  extinta  graças  ao  processo colonizador  europeu,  foi  recriada  de  modo  mitológico no Brasil dos anos 1940.
d)  a  cultura  xinguana,  ao  contrário  de  outras  culturas indígenas,  não  foi  afetada  pelo  processo  colonizador europeu.
e)  não  há  relação  direta  entre,  de  um  lado,  o  processo colonizador  europeu  e,  de  outro,  a  mortalidade indígena e a perda de sua identidade cultural. 


7- (Fuvest 2015) O  Movimento  dos  Trabalhadores  Rurais  sem  Terra  (MST)  foi criado  em  1984,  inserido  em  um  contexto  de 
 
a)   abertura   política   democrática   no   Brasil   e   de   crescente insatisfação   com   as   políticas   agrárias   nacionais   então  vigentes. 
b)   fortalecimento   da   ditadura   militar   brasileira   e   de  aumento  da  imigração  estrangeira  para  o  país. 
c)   declínio  da  oposição  armada  à  ditadura  militar  brasileira e  de  aumento  da  migração  das  cidades  para  o  campo. 
d)   aumento  da  dívida  externa  brasileira  e  de  disseminação da  pequena  propriedade  fundiária  em  todo  o  país.   
e)   crescimento   de   demanda   externa   por   commodities brasileiras   e   de   grandes   progressos   na   distribuição   de terra,  no  Brasil,  a  pequenos  agricultores.   

8- (Fuvest 2015) Considere os mapas sobre a produção de leite no Brasil.
Com base nos mapas e em seus conhecimentos, é correto afirmar que a produção de leite no Brasil, no período retratado,

a)  cresceu na região Nordeste, devido à substituição das plantações de algodão, na Zona da Mata, pelos rebanhos leiteiros.
b)  avançou em direção aos estados do Norte e do Centro􀍲Oeste, em função da predominância, nessas regiões, de climas mais secos.
c)  consolidou  a  hegemonia  de  Minas  Gerais,  graças  à  alta  produtividade  alcançada  com  o  melhoramento  genético  dos rebanhos no Vale do Jequitinhonha.
d)  aumentou,  tanto em  quantidade  produzida  quanto em  número  de  estados  produtores,  graças, em  grande  parte,  ao crescimento do consumo interno.
e)  abarcou todo o território nacional, excetuando􀍲se os estados recobertos pela floresta amazônica, devido à presença de unidades de conservação.

9- (FGG – CH)  O Brasil apresenta uma grande concentração fundiária, herança dos latifúndios, frutos da colonização. Também devido às desigualdades sociais, o movimento por terras no país tem aumentado, através de grupos organizados ou influenciados por partidos políticos. Infelizmente, muitas ocupações terminam em conflitos que ocasionam mortes, seja entre fazendeiros e membros dos movimentos, fazendeiros e indígenas, ou grileiros e posseiros. Um dos casos mais emblemáticos de conflitos agrários no Brasil está o da irmã Doroth Stang, missionária norte-americana, assassinada aos 73 anos, com seis tiros, na cidade de Anapu, Pará.

 De acordo com especialistas os crimes relacionados ao espaço agrário e conflitos no campo têm como principais motivações, exceto:

(A) A disputa contínua por terras.
(B) A invasão de terras indígenas por fazendeiros.
(C) A prática ilegal de grilagem.
(D) A inexpressiva fiscalização e políticas públicas de demarcação de terras indígenas e quilombolas.
(E) A ausência de uma legislação que trate de assuntos relacionados a estrutura fundiária e demarcação de terras, além de órgãos governamentais e ONGs voltadas para a causa.

10- (FGG – CH)  O constante deslocamento em busca de novas áreas férteis, caracterizada pelo uso de mão de obra familiar, onde a agricultura se desenvolve em áreas de matas, florestas e campos naturais, onde ocorre a aplicação de técnicas como a derrubada e a queima da vegetação, prática que leva o solo à exaustão e perde sua fertilidade, é conhecida como:

(A) Agricultura Itinerante.

(B) Agricultura intensiva.

(C) Agricultura de Jardinagem.

(D) Plantations.

(E) Agronegócio.


11- (FGG – CH)  A prática que consiste na utilização de mão de obra assalariada e qualificada (engenheiros agrônomos, veterinários e outros) apresenta um amplo aparato tecnológico (máquinas e sistemas computadorizados) com a utilização de técnicas modernas (biotecnologia) que favorecem a alta produtividade, visando um amplo mercado externo consumidor, é chamada de

(A) Agricultura Itinerante.

(B) Agricultura de subsistência.

(C) Agricultura de Jardinagem.

(D) Plantations extensivos.

(E) Agronegócio.


12- (FGG-CH) É um tipo de agrofloresta mais organizada em que as culturas plantadas cooperam entre si, fornecendo proteção, umidade, e garantindo luz solar. Consiste na conservação da mata natural de determinado espaço, associando-a à plantação de culturas comerciais. O objetivo é estabelecer uma relação de convívio mútuo com a natureza sem que atividades como o desmatamento ou o uso de quaisquer produtos químicos fossem utilizados para melhorar a qualidade do solo.

A prática agrícola mencionada no texto, com o intuito e evitar danos ao meio ambiente, é chamada de

(A) Terraceamento

(B) Curvas de níveis

(C) Rotação de culturas

(D) Agricultura sintrópica

(E) Silvicultura


13- (FGG-CH) O esquema representa um processo de erosão em encosta. Assinale a alternativa que melhor contribui, do ponto de vista ambiental, para a redução desse processo.

(A) A prática de aração do solo.

(B) A técnica de terraceamento.

(C) A prática de aterramento.

(D) Impermeabilização do solo.

(E) Construção de favelas.


14- (FGG-CH) A Revolução Verde teve início na década de 1950 no México. Seu precursor foi o engenheiro agrônomo Norman Borlaug, que desenvolveu técnicas químicas capazes de dar maior resistência às plantações de milho e trigo, além de otimizar os métodos de produção agrícola. Trata-se do conjunto de mudanças nas técnicas de produção, com o intuito de aumentar a produtividade e, consequentemente, reduzir a fome nos países pobres. Consiste na modernização das práticas agrícolas (utilização de adubos químicos, herbicidas, sementes melhoradas) e na mecanização do preparo do solo, cultivo e colheita.

 São desvantagens da Revolução Verde, exceto:

 (A) altíssimo nível de utilização de água para sustentar seus métodos.

(B) alta dependência de tecnologia oriunda de países desenvolvidos redução da diversidade genética (tendo em vista que a prioridade é cultivar produtos homogêneos para otimizar a produção e obter maior lucro)

(C) sustentabilidade questionável e alto nível de degradação ambiental

(D) aumento da concentração de renda

(E) a implementação de máquinas, equipamentos e sementes geneticamente modificadas para aumentar a produtividade.


15- (FGG- CH) Organismos geneticamente modificados (OMG), ou simplesmente transgênicos, são aqueles produzidos pela engenharia genética, a partir da incorporação de genes de espécies que não se reproduziriam em condições naturais; como entre indivíduos do reino animal e vegetal.

 

São vantagens desses alimentos, exceto:

 (A) Maior resistência dos alimentos ao armazenamento por períodos prolongados;

(B) Desenvolvimento de espécies com características desejáveis.

(C) Frutas que permanecem com o sabor e a consistência inalterada por vários dias.

(D) Alteração no valor nutricional, por exemplo, a produção de tomate com maior quantidade de licopeno, que protege contra o câncer de próstata.

(E) Aumento das substâncias tóxicas nos alimentos, riscos ao meio ambiente e perda das culturas tradicionais.

 

****GABARITO****

1
E
2
E
3
E
4
C
5
B
6
B
7
A
8
D
9
E
10
A
11
E
12
D
13
A
14
E
15
E










Nenhum comentário:

Postar um comentário